Medicina Chinesa

A Medicina Chinesa (MC) assenta num raciocínio que se caracteriza pela relação do ser humano com os vários aspetos do meio envolvente, como a natureza, a sociedade, a comunidade e a família e a aquisição de hábitos de vida que permitam ao indivíduo desenvolver uma adaptação a esses fatores.

Para a MC, o estado de saúde é determinado pela capacidade de adaptação do indivíduo ao meio envolvente, o que permite uma intervenção personalizada por parte do profissional de MC.

Os profissionais de MC dispõem de um sistema terapêutico com diversas ferramentas, tais como: Acupuntura e Moxabustão (aplicação de calor em pontos de acupuntura), Tuina (massagem terapêutica vigorosa), Taijiquan e Qigong (exercícios de coordenação motora e concentração), Prescrição de Fitoterapia Chinesa e Orientação Dietética.

Existem também outras técnicas complementares, como a aplicação de Ventosas, Gua Sha, Auriculoterapia e Electroestimulação.

Este completo sistema terapêutico permite ao profissional de MC intervir na correção de padrões identificados e, recentemente, incorporados na 11ª Edição da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID), publicada pela Organização Mundial de Saúde.